Advertisement

Header Ads

É errado o crente participar de festa Junina?





No Brasil, Junho é o mês das festas juninas, as quais são mescladas de religiosidade e folclore. Nesta época, muitos crentes “principalmente novos convertidos” ficam cheios de dúvidas quanto ao que pode ou não pode, se é ou não pecado participar dessas comemorações. Isso, é normal, pois os novos convertidos, são pessoas muito novas na fé verdadeira em Jesus Cristo, eles vêm de um lugar onde tinham pouco ou nenhum contato com as Escrituras Sagradas e, quase tudo se podia fazer, sem peso nenhum de consciência, e ao chegarem no meio cristão protestante, se deparam com proibições que para eles, eram normais.
É errado o crente participa de festa Junina? Sim, é errado. Mas, não posso afirmar sem provar. Por isso para provarmos que definitivamente é pecado o crente participar de festa Junina, vamos primeiro fazer a citação de alguns textos bíblicos, para sua análise de consciência, depois, faremos um apanhado histórico sobre a origem pagã destas festas, por fim mostrar que o cristianismo católico fez um sincretismo (fusão, combinação) religioso, ao introduzir essas festividades pagãs ao seu rol de comemorações religiosas . Após todo embasamento teórico, será possível ao leitor sincero, discernir com sua própria conclusão se é ou não pecado o crente participar de festas juninas.
1. Textos bíblicos para sua análise de consciência.
·        Os ídolos deles são prata e ouro, obra das mãos dos homens  Têm boca, mas não falam; têm olhos, mas não vêem têm ouvidos, mas não ouvem; nariz têm, mas não cheiram.  Têm mãos, mas não apalpam; têm pés, mas não andam; nem som algum sai da sua garganta. Tornem-se semelhantes a eles os que os fazem e todos os que neles confiam (Salmo 115.4-8).
·        Que vos abstenhais das coisas sacrificadas (ou oferecidas) aos ídolos, (At 15.29a).
·        Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te dá, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos." (Deuteronômio. 18:9).

·        Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? (2Coríntios 6:14).

·        Antes, digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios. Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios (1 Co 10.20-21).

2. Origem pagã das festas Juninas.
Segundo Ney Vilela, em Festas Juninas e Rituais Pagãos,1 as festas juninas têm ligação direta com as festas de solstício. Essas festas, eram consagradas pela sabedoria pagã e pela filosofia grega.
De acordo com o livro O Ramo de Ouro, de Sir James George Frazer, o mês de junho, tempo do solstício ( 22 ou 23 de junho), o Sol a meio dia. Atinge seu ponto mais alto no céu e, marcava a época do ano em que diversos povos faziam rituais de invocação de fertilidade para estimular o crescimento da vegetação a fartura nas colheitas e trazer chuva.
Na Europa essas festividades faziam parte dos rituais agrários. Essas festas religiosas eram realizadas pelos os Celtas, que acreditavam que nesses momentos abriam-se os portais espirituais, permitindo a comunicação do
reino da terra com o reino do céu; e assim, as almas dos mortos podiam visitar seus lares para se aquecerem junto às fogueiras, recebendo as homenagens de seus velhos amigos e parentes. Os celtas dançavam, cantavam, comiam e bebiam ao redor da fogueira para todas as almas amigas que acreditavam estarem ao seu redor.
Em outras palavras esses povos pagãos estavam horando a criação em lugar do criador, adorando e servindo as coisas que Deus criou, em vez de adorarem e servirem o próprio Deus.
3. Sincretismo Religioso.
Quando o cristianismo tornou-se a religião oficial do Ocidente, no século IV, as principais celebrações pagãs foram sendo incorporadas ao calendário das festas católicas. Foi assim com o Natal, com o Dia de Todos os Santos e também com as festas juninas.
A data das festividades pagãs do solstício de verão era muito próxima do dia das comemorações católicas de São João, em 24 de junho, de modo que não houve nenhuma dificuldade no sincretismo religioso. As divindades homenageadas no paganismo, foram substituídas por santos católicos: São João Batista, Santo Antônio, e São Pedro. Assim, as festas desses três santos passaram a ser chamadas de juninas. 2

Ney Vilela, questiona: Por que o cristianismo (que se afasta tanto da ideologia pagã) se apropriou das datas reverenciais mais importantes do paganismo? Há dois motivos que, no decorrer da Idade Média, tornaram-se evidentes diz Vilela: facilitar a catequese dos pagãos e esvaziar ideologicamente suas comemorações. Assim se construiu a tríade maior das festas da cristandade: a Páscoa, que ocorre no primeiro domingo de Lua cheia após o equinócio de primavera; o nascimento de Jesus de Nazaré, convencionado para o solstício de inverno, 25 de dezembro; São João, coroando as festas juninas, em 24 de junho.
 Patrícia Mariuzzo em: A história das festas juninas no Brasil e no mundo,3 diz que as festas juninas têm, ao mesmo tempo, características religiosas e profanas. Junto com o louvor aos santos católicos, as festas mais tradicionais carregam forte misticismo ligado aos rituais de fecundação pagãos. Sinais disso podem ser vistos nas quadrilhas, cujas coreografias remetem à conquista e sedução, nas brincadeiras, como a do pau de sebo e nas simpatias e adivinhações.
Conclusão.
De tudo isso podemos concluir que as festas juninas são antibíblicas, suas origens são inteiramente pagãs, este paganismo foi entrelaçado ao cristianismo pela Igreja Católica, mas é totalmente incompatível com os ensinamentos bíblicos do SENHOR e, por conseguinte, incompatíveis com a fé cristã, caracterizando assim proibida e pecaminosa para os verdadeiros cristãos.
                                                                                                                

[1] Disponível em: <http://leiturasdahistoria.uol.com.br/ESLH/Edicoes/21/artigo143965-1.asp> Acesso em: 26 junho 2014

[2] Disponível em: <http://www.novavida.net/festasjuninas.pdf> Acesso em: 26 junho 2014
[3] Disponível em: <http://www.univesp.ensinosuperior.sp.gov.br/preunivesp/200/a-hist-ria-das-festas-juninas-no-brasil-e-no-mundo.html> Acesso em: 26 junho 2014



SOBRE O TEMA ALGUÉM RESPONDE:
José, essa postura é bastante radical e insustentável. Participar, por exemplo, de uma confraternização no meu serviço seria proibido? Se você aplica esse critério para a festa também deveria aplicar para outras coisas. Não deveria, por exemplo, trabalhar com incrédulos, não deveria usar coisas que tenham sido inventadas ou feitas por incrédulos, deveria avaliar todas as origens das coisas e rejeitar tudo que foi feito por pagãos. Você faz isso? A TV que você assiste foi feita por incrédulos? O carro que você anda foi inventado por incrédulos? A comida que você come vem da fábrica de um incrédulo ou pagão? A roupa que você usa vem de alguma grife de um satanista?

EU RESPONDO:
Amado, a questão é o cunho religioso da festa junina, sua finalidade é a IDOLATRIA AO SANTOS, que o amado sabe muito bem ser pecado. Não estou falando de confraternização no nosso ambiente de trabalho, nem muito menos de matérias primas feitas por incrédulos. Caso contrário eu teria que sair do mundo (Leia 1 Co 5.10b). A questão é, o amado participaria de uma confraternização no seu trabalho sabendo que a finalidade seria idólatra? Pelo seu raciocínio acho que sim. Cuidado irmão , que a tua ciência e liberdade não seja de alguma maneira escândalo para os fracos (1 Co 8.9). Porque, se alguém te vir a ti, que tens ciência, sentado à mesa no templo dos ídolos, não será a consciência do que é fraco induzida a comer das coisas sacrificadas aos ídolos? E, pela tua ciência, perecerá o irmão fraco, pelo qual Cristo morreu. Ora, pecando assim contra os irmãos e ferindo a sua fraca consciência, ´PECAIS CONTRA CTO CRISTO. (1 Co 8.10-12). VEJA O QUE DIZ A BÍBLIA - "Antes, digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios. Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. (1 Co 10.20-21)


Faça sua inscrição no blog Creio no Evangelho

Receba as atualizações do blog Creio no Evangelho! Digite seu email aqui...

Postar um comentário

0 Comentários