Advertisement

Header Ads

Razões para acreditar em um Deus que permite o sofrimento.

Desastres naturais. Atos terroristas. Injustiça. Doença incurável. Todas essas experiências apontam para o sofrimento, e pode levar as pessoas a questionar o amor e a bondade de um Deus. Por que Ele deixa essas coisas ocorrem. Nesta publicação, busca-se considerar quem é Deus, e por isso que podemos confiar nele, mesmo quando a vida dói e não sabemos por quê.
Pais amorosos tentam proteger suas crianças da dor desnecessária. Mas os pais sábios sabem o perigo do excesso de proteção. Eles sabem que a liberdade de escolha é o cerne do que significa ser humano, e que um mundo sem escolha seria pior do que um mundo sem dor. Pior ainda seria um mundo povoado por pessoas que poderiam fazer escolhas erradas sem sentir qualquer dor. Ninguém é mais perigoso do que o mentiroso, ladrão, assassino a não ser aquele que não sente o mal que está fazendo para si mesmo e para os outros ( Gênesis 2: 15-17 ).
Odiamos a dor, especialmente naqueles que amamos. No entanto, sem desconforto, o doente não iria a um médico. Corpos desgastados não iriam receber nenhum descanso. Os criminosos não temeriam a lei. As crianças iriam rir da correção.
Sofrendo é uma das forma de revelar o que está em nossos corações. Capacidades para o amor, a misericórdia, a raiva, inveja e orgulho pode permanecer dormente até despertada pelas circunstâncias causadas pelo sofrimento. Força e fraqueza do coração não é encontrado quando tudo está indo bem em nosso caminho, mas quando as chamas de sofrimento e tentação veem para testar o vigor de nosso caráter. Como o ouro e prata são refinado pelo fogo, e como o carvão precisa de tempo e pressão para se tornar um diamante, o coração humano é revelado e desenvolvido por suportar a pressão e calor de tempo e circunstância. A força de caráter é mostrado não quando tudo está bem com o nosso mundo, mas na presença de dor e sofrimento humano ( Jó 42: 1-17 ;  Romanos 5: 3-5 ;  Tiago 1: 2-5 ;  1 Pedro 1: 6 8 ).
O fim desta vida nos leva ao limiar da eternidade e, todas as pessoas no universo têm a oportunidade de descobrir, através do sofrimento, que esta vida não é tudo o que temos para viver. Aqueles que ao Deus eterno encontrar através do sofrimento não desperdiçou sua dor. Eles deixaram a sua pobreza, sofrimento e fome conduzi-los ao Senhor da eternidade. Eles são os únicos que vão descobrir a sua própria alegria sem fim por isso que Jesus disse: "Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos céus" ( Mateus 5: 1-12 ;Romanos 8: 18-19 ).
Com o tempo, os nossos corpos tornam-se cada vez mais desgastado. Aos poucos, eles sucumbem a inevitável obsolescência. Os olhos escurecem a digestão diminui o sono torna-se difícil. Os Problemas tornam-se cada vez maiores. No entanto, se a morte não é o fim, mas o limiar de um novo dia, então a maldição da velhice também é uma bênção. Cada nova dor torna este mundo menos convidativo e a próxima vida mais atraente. À sua maneira, a dor abre o caminho para uma saída graciosa (  Eclesiastes 12: 1-14 ).
Um dos mais famosos sofredores de todos os tempos foi um homem chamado Jó. De acordo com a Bíblia, Jó perdeu sua família, sua riqueza, e sua saúde. Deus nunca disse a Jó por que estas coisas estavam acontecendo. Como Jó suportou as acusações de seus amigos, o céu permaneceu em silêncio. Quando Deus finalmente falou, Ele não revelou que seu arqui-inimigo Satanás havia o desafiado, tentando mostrar que Jó não servir a Deus. Nem o Senhor pediu desculpas por permitir que Satanás testasse a devoção de Jó com Deus. Em vez disso, Deus falou sobre cabras da montanha que dão à luz, os jovens leões na caça, e corvos no ninho. Ele citou o comportamento da avestruz, a força do boi, e o passo do cavalo. Ele citou as maravilhas dos céus, as maravilhas do mar, e o ciclo das estações. Jó foi levado a concluir que, se Deus tinha o poder e sabedoria para criar este universo físico, havia infinitas razões para confiar que Deus estaria como ele mesmo nos momentos de sofrimento ( Jó 1-42).
Ninguém sofreu mais do que o nosso Pai no céu. Ninguém pagou mais caro para livrar o mundo do pecado. Ninguém tem entristecido tão continuamente sobre a dor de uma raça. Ninguém sofreu como Aquele que pagou pelo nosso pecado no corpo crucificado do Seu próprio Filho. Ninguém sofreu mais do que aquele que, quando Ele esticou os braços e morreu, nos mostrou o quanto Ele nos amou. É este Deus que, em nós a Ele mesmo, nos pede para confiar nele quando estamos sofrendo e quando nossos próprios entes queridos clamam em nossa presença (  1 Pedro 2:21 ;  3:18 ;   4: 1 ).
O apóstolo Paulo suplicou ao Senhor para tirar uma fonte não identificada do sofrimento. Mas o Senhor se recusou, dizendo: "A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza." "Portanto", disse Paulo, "eu me gloriarei nas minhas fraquezas, para que o poder de Cristo habite em mim. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então é que sou forte "( 2 Coríntios 12: 9-10 ). Paulo aprendeu que ele preferia estar com Cristo no sofrimento do que sem Cristo em boa saúde e circunstâncias agradáveis.
Através do sofrimento de Jó, vemos um homem que não só veio a uma compreensão mais profunda de Deus, mas que também se tornou uma fonte de encorajamento para as pessoas em todas as gerações a seguir. Através da rejeição, traição, escravidão e prisão ilegal de um homem chamado José, vemos alguém que eventualmente foi capaz de dizer aos que o tinham ferido, "Você quis fazer mal contra mim; mas Deus o tornou em bem "(  Gênesis 50:20 ). Quando tudo em nós grita para os céus para saber a razão do nosso sofrimento, temos motivos para olhar para o resultado e alegria eterna de Jesus, que em seu sofrimento na cruz do carrasco gritou: "Meu Deus, Meu Deus, por que me desamparaste?" (  Mateus 27:46 ). Mas, Deus o exaltou soberanamente.
Você não está sozinho, se você encontrar-se honestamente convencido sobre se Cristo ressuscitou dos mortos. Mas tenha em mente que Jesus prometeu a ajuda de Deus para aqueles que querem estar bem com Deus. Ele disse: "Se alguém quiser fazer a vontade de Deus, ele vai descobrir se o meu ensino vem de Deus ou se eu falo de mim mesmo" ( João 7:17 NVI ).
Tenha em mente que a Bíblia diz que Cristo morreu para pagar o preço por nossos pecados, e aqueles que acreditam em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos será salvo ( Romanos 10: 9 -10 ). A salvação que Cristo oferece não é uma recompensa pelo esforço, mas um presente a todos os que, à luz da evidência depositam sua confiança nEle.



Faça sua inscrição no blog Creio no Evangelho

Receba as atualizações do blog Creio no Evangelho! Digite seu email aqui...

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Penso um pouco diferente. Segundo a Lei da Perfeição do Criador, o pecado geraria o bem e o mal sem Deus, geraria a dor e a morte (como gerou). Há um mistério gravado nisso: a Lei do Criador se cumpriu com suas consequências. A partir daí, o nosso aprendizado para entender nossa origem, destino, Pai, Deus, se dá por experiências múltiplas: se nos deixamos moldar a partir do nosso Salvador, bênçãos. Se nos moldamos de acordo com o mundo decaído pelo pecado, dor. Isso tudo permanece até que absorvendo o máximo de experiências, nos arrependamos e voltemos ao Pai. Mas, mesmo assim, não voltaríamos ao Pai, se não tivesse havido um Plano de Salvação que só poderia ser cumprido por um homem perfeito, sem pecado. Ele assumiria a nossa humanidade, com dor e morte e tudo o mais que fosse necessário por amor a nós, para que em Sua Perfeição, Sua Divindade, Ressuscitasse e tornasse a raça humana capaz de absorver Sua Divindade, (recebendo tudo o que Ele ensinou em Luz e afastando-se das trevas) e assim pudesse também Ressuscitar. Esta humanidade que O recebe também viverá nas dores (desta vez nas dores de Cristo) para alcançar sua libertação da natureza da morte que Ele nos propiciou. Ou seja: vivemos em dores porque aceitamos a Libertação que Cristo nos propiciou, morrendo como Ele para este mundo e Vivendo da Palavra que Liberta. Se Ele não tivesse vindo e não permanecesse conosco, nem com todo o esforço e dor do mundo, conseguiríamos nos libertar. Porque a inimizade do mundo e do pecado, nos aprisionariam para sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A paz de Cristo irmã! Muito relevante a sua opinião. Obrigado por deixar seu comentário em nosso blog. Certamente servirá para outros leitores fazerem análise também.

      Em Cristo Jesus: Irmão José

      Excluir