Advertisement

Header Ads

Quando é que Deus se enfada do seu povo?


O ano velho passou e o novo chegou. Com ele, nasce em nós aquele desejo de mudança, novas perspectivas chegam a cada ano que passa, sempre tem algo que queremos mudar em nossa vida, não fizemos o bastante, poderíamos ter feito mais, querer mudar e fazer mais pra Deus e para o próximo é sem dúvidas o desejo de muitos nesse início de ano. Com Deus, é semelhante, embora ele não precise mudar (Ml 3.6), Ele quer que mudemos de atitudes. Nesse sentido, a igreja precisa mudar no que diz respeito ao formalismo frio e sem vida, que tem enfadado Deus desde os tempos antigos e continua enfadando-o mais ainda nesse últimos dias. 
Sobre esse formalismo religioso que está imperando nas igrejas dos dias atuais, o Pr Cirino Refosco escreve: 
“Um dos erros mais comuns do ser humano tem sido sempre supor que o Deus vivo se satisfaz com um ato qualquer, como dizer uma oração, observar um jejum ir à Igreja, dar uma esmola ou praticar uma cerimônia qualquer. Os Judeus nos dias de Isaías, eram zelosos na observância das cerimônias e formas da religião, e supunham que por isso tinham o direito à complacência e bênçãos Divinas Daí, a censura do Senhor: “De que me serve a mim a multidão de vossos sacrifícios, diz o Senhor? Já estou farto dos holocaustos de carneiros e da gordura de animais cevados; nem folgo com o sangue de bezerros, nem de carneiros e nem de bodes”. (Pr Cirino Refosco).

O QUE É O FORMALISMO RELIGIOSO?

O formalismo pode ser definido como a ênfase exagerada ás formas externas da religião em detrimento de sua e essência: a plena comunhão com Deus. Também é conhecido como liturgismo e ritualismo.
Você já foi naqueles cultos em que ao invés de a Igreja buscar a essência da adoração, e do poder de Deus em suas vidas, conforma-se apenas com aquele culto vazio e da mesmice? Pois é nesse tipo de culto onde impera o formalismo religioso “exagerado”, dá-se mais valor à forma e liturgia do culto que a presença de Deus, que é a essência da adoração.

O FORMALISMO EXAGERADO ENFADA A DEUS.

 Nos tempos do Antigo Testamento, os judeus religiosos, estavam praticando justamente esse tipo de formalismo. Eles, valorizavam mais o ritual dos sacrifícios que eles faziam do que o significado do próprio sacrifício.  O formalismo deles era tão grande, que eles chagaram a enfadar o Senhor, tanto é verdade que o profeta Malaquias protestou, leia:

Enfadais ao SENHOR com vossas palavras; e ainda dizeis: Em que o enfadamos? Nisto que dizeis: Qualquer que faz o mal passa por bom aos olhos do SENHOR, e desses é que ele se agrada, ou, onde está o Deus do juízo? (Ml 2.17) 
Essa inversão de valores levou os judeus a pensarem que lhes bastava sacrificar ao Senhor, e tudo estaria bem, independentemente de sua condição moral e espiritual. E, justamente nessa época que Judá estava sendo uma nação extremamente pecadora (Leia Jr 3.1-15).
Assim é o cristianismo meramente nominal dos dias de hoje, muitos pensam que só ir à igreja, “principalmente aos domingo” já está tudo bem, que participar da igreja A, B ou C, já li dá direito a salvação, esquecem-se de buscar uma intimidade pessoal com seu salvador, esquecem de buscar o Senhor na essência, EM ESPÍRITO E EM VERDADE. O Pr Claudionor Coreia de Andrade em seu comentário da lição bíblia: “Malaquias. Contra o formalismo e as iniquidades na Casa de Deus, 1999”, escreveu: 
“Não basta ser pentecostal; é necessário ser cheio do Espírito Santo. Não basta ter uma história, é necessário prosseguir com o movimento do Espírito; caso contrário ficaremos estagnados como uma denominação burocrática”.

COMO COMBATER O FORMALISMO?

Avivamento genuíno, essa é a resposta e o antídoto para combater o formalismo exagerado em nossas igreja. Mas, não é qualquer tipo de avivamento, falamos do verdadeiro, aquele que vem por meio da Palavra de Deus, ela, é a regra áurea (Is 8.20).
Precisamos, voltar a simplicidade, a humildade. Chega de julgar pela a aparência, de matar com palavras. Não adianta de nada está na igreja, somente para se mostrar, ou porque o pai e mãe obriga. Precisamos está lá com coração contrito, com uma mente renovada, precisamos ser convertido e não convencidos. O Pr Claudionor, também afirma que não devemos importar modismo e pseudo-avivamentos, pois esses só trazem confusão e irreverência à Casa de Deus.

CONCLUSÃO.

Sejamos praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-nos a nós mesmos. Pois o que não é praticante é comparado ao homem insensato que construiu sua casa sobre a areia. Precisamos ouvir a voz do divino Mestre: “Resplandeça a vossa luz diante dos homens para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso pai que está nos céus” Mat. 5:16. Sede meus imitadores como eu sou de Cristo; Sede perfeitos, como o vosso Pai celestial é perfeito; Sede praticantes da palavra e não meros ouvintes, enganando-vos com falsos discursos; Sede exemplos dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza; Sede fiéis até a morte.

Resumo:
Diácono Irmão José.

REFERÊNCIAS:
[1] Lição bíblica - Malaquias. Contra o formalismo e as iniquidades na Casa de Deus, 1999”
[2] Pr Cirino Refosco - O formalismo religioso e a prática da religião. Site: http://sermoesonline.pibja.org/2008/12/31/o-formalismo-religioso-e-a-pratica-da-religiao/. Acesso em: 01 de Janeiro de 2015.

Faça sua inscrição no blog Creio no Evangelho

Receba as atualizações do blog Creio no Evangelho! Digite seu email aqui...

Postar um comentário

0 Comentários