Advertisement

Header Ads

Qual a diferença entre os Dons Ministeriais e as Manifestações do Espírito Santo?





A igreja de Deus, que espiritualmente é o corpo de Cristo, pode ser comparada a um edifício. No edifício de Deus, uns laçaram os fundamentos e outros construíram e constroem sobre esse fundamento. O fundamento do edifício de Deus é Cristo. Os edificadores ou construtores não podem lançar outo fundamento diverso daquele que já foi posto. Para construírem corretamente, devem ter as ferramentas adequadas para isso. As ferramentas são os Dons do Espirito [1].

O que são os Dons Espirituais?

Dons: da palavra grega correspondente se derivou o termo carismas, para indicar as capacidades ou aptidões concedidas pelo Espírito Santo aos crentes. Os Dons Espirituais segundo Henry (2018, p. 479) são ‘‘funções extraordinárias e poderes, concedidos aos apóstolos e cristãos em geral, naqueles primeiros tempos da igreja para convicção dos incrédulos e propagação do Evangelho.’’ Nesse sentido, os Dons, servem para uma função específica, o crescimento do Reino de Deus.
O apóstolo Paulo, não queria que a igreja de corinto fosse ignorante acerca das coisas do Espirito ‘‘nem quanto a sua origem nem quanto ao seu uso. Eles vinham de Deus e deveriam ser usados para Ele. Eles se desviariam se ignorassem tanto um quanto o outro desses aspectos.’’  (HENRY, 2008. p. 479)

 Grupos de Dons Espirituais.

A Bíblia apresenta os Dons do Espírito Santo em dois grupos. No primeiro estão os Dons Ministeriais e no segundo as Manifestações do Espírito Santo. Abaixo vamos detalhar cada um deles.

I. Os Dons Ministeriais. São capacidades concedidas aos cristãos que refletem o chamado de Deus na vida de uma pessoa para exercer funções no Ministério do Reino de Deus. São eles: Apóstolo, Profeta, Evangelista, Pastor, Mestre, Diácono, Auxiliar.

Apóstolo. Os diretamente comissionados pelo SENHOR para estabelecer a igreja e a mensagem genuína do Evangelho. Os 12 apóstolos, Paulo e Pedro exerceram o Ministério de Apóstolo.

Profeta. Embora hoje não haja profetas como os do Velho Testamento (Lc 16.16) com as mesmas funções específicas, por exemplo, ungir reis, ungir outros profetas, ser mediador entre o home e Deus e escrever os rolos da bíblia. No Novo Testamento, existe claramente o Ministério de Profeta. Fazem parte desse ministério os que falam sob a inspiração do Espírito Santo, trazendo da parte de Deus uma mensagem para a edificação da igreja e, cuja motivação e preocupação principais tem a ver com a vida espiritual e a pureza da igreja. Ágabo, as filhas do Evangelista Felipe e Barnabé (At 11.27-28; At 218-11; At 13.1), são alguns exemplos.

Evangelista. Os que recebem Dons de Deus para proclamar o Evangelho aos não-salvos (Ef 4.11). São aqueles que levam a mensagem da salvação através de Cristo e, que não são apóstolos.

Pastor. Os escolhidos e dotados por Deus para dirigir a igreja e cuidar das suas necessidades espirituais (At 14.23; EF 4:11; 1 Co 12:28). Exemplos, Timóteo, Tito, Pedro, João e Gaio.

Mestre. Os ordenados por Deus para esclarecer e explicar a Palavra de Deus para a edificação da igreja ( Ef 4.11, Rm 12.7, 1 Pe 5.1-5). Exemplos, Paulo, Barnabé e Apolo.

Diácono. Os escolhidos e dotados por Deus para prestar assistência prática aos membros da igreja (At 6.1-6; 1 Pe 4.11; Fp 1.1). Os primeiros sete diáconos da igreja (At 6.5) e Febe (Rm 16.1-2) são exemplos de diáconos no Ministério.

Auxiliar. Os dotados por Deus para várias modalidades específicas de auxílio (1 Co 12.26). Exemplos, Lídia e Gagio (At 16.14-15; 3 Jo 5-8).

Administradores. Os dotados por Deus para orientar e supervisionar atividades diversas da igreja (1 Tm 3.1-7; Hb 13.7,24). Exemplo, Pedro e Paulo.

Os dons ministeriais são exercidos pelos santos, membros do Corpo de Cristo com o objetivo de edificar a igreja. 

II. As manifestações do Espírito Santo. São manifestações sobrenaturais inspiradas pelo Espírito Santo concedidas à igreja, com propósito de edificação e crescimento espiritual. Conforme Stern (2008, p. 516) ‘‘A manifestação particular do Espírito que cada pessoa recebe não se deve ao próprio mérito, mas ao Espírito,...que distribui-as a cada pessoa de acordo com sua escolha. Biblicamente, existem nove (09) manifestações do Espírito Santo. A Palavra de Sabedoria, Palavra de Conhecimento, Dons de Curar, Operação de Maravilhas, Profecia, Discernimento de espíritos, Variedade de línguas e Interpretação de línguas.

(1) A Palavra de Sabedoria. Resolver problemas práticos do dia-a-dia ou um problema espiritual é a especialidade de quem recebe esse dom. Têm muitas ocasiões que o bom senso não resolve, é preciso ter a Palavra de Sabedoria. É, por tanto, uma revelação sobrenatural, que surge em resposta a uma oração.

palavra de sabedoria é o poder sobrenatural de falar com a visão divina, é para resolver problemas difíceis para a defesa da fé, para resolver conflitos, para oferecer conselhos ou para defender sua própria causa perante as autoridades hostil. Esteban mostrou assim que a palavra de sabedoria que seus adversários "não podiam resistir à sabedoria com que falava" (MACDONALD, 2011, p. 1095)

(2) Palavra de Conhecimento. É uma declaração do Espírito Santo revelando conhecimento a respeito de pessoas, circunstancias ou verdades bíblicas. É um conhecimento sobrenatural relevante para compreender uma situação.

(3) Fé. A fé é um dom de Deus. Os cristãos salvos receberam a fé para a salvação. Além da fé salvadora, existe a fé produz não apenas milagres, mas mártires (do Comentário de Robertson & Plummer). ‘‘O dom da fé é a capacidade divina para remover montanhas de dificuldades na realização da vontade de Deus (13: 2) e fazer grandes coisas para Deus em resposta a qualquer comando ou promessa de Deus.” (MACDONALD, 2011, p. 1095)

(4) Dons de Curar. Jesus durante o seu ministério terreno curou várias pessoas de com as mais diversas enfermidades. Jesus também prometeu aos que creem nele que eles realizariam milagres ainda maiores (Jo 14.12). Assim, o Espírito Santo concede a alguns crentes o dom de restaurar a saúde de alguém por meios sobrenaturais Divino. Nesse sentido, a pessoa que tem o dom de curar, não é uma espécie de ‘‘curandeiro”, mas se torna um canal, por onde correm as bênçãos de Deus para saúde do próximo (Mt 4.23,24; Mc 1.32-34; Lc 4.40,41). Porém, é preciso estar espiritualmente atendo pois existem curas e milagres que não têm origem divina, mas provém de outros espíritos, até mesmo de Satanás (Mt 24.24; At 16.16-19; 2 Co 11:14; 2 Ts 2:9).

(5) Operação de Maravilhas. O dom de Operação de Maravilhas diferencia-se do Dom de Curar pelo fato de que aquele diz respeito a milagres extraordinários que alteram até o curso da natureza, são milagres incomuns ou espetaculares. Por exemplo, a água transformada em vinho, um morto ser ressuscitado, um sego de nascença voltar a enxergar (Jo 2.1-11; Jo 11.1-46; Mc 10.46-52).

(6) Profeta. É a capacidade momentânea e especial para transmitir a mensagem de Deus, uma advertência divina, exortação ou revelação da parte de Deus sob o impulso do Espírito Santo. (1 Co 12.10; Lc 12.12; 1 Ts 5.20,21; 1 Jo 4.1-3).

(7) Discernimento de espíritos. O inimigo pode influenciar as pessoas para trazer confusão à igreja de Deus através de falsos milagres, falsas profecias e falsa doutrina. O Dom do Discernimento de espíritos é uma capacidade especial dada ao cristão fiel pelo Espírito Santo para julgar se certo fenômeno espiritual tem origem no Espirito de Deus. É a capacidade espiritual de não se deixar enganar. (At 8.18-24; At 13.8-12).

(8) Variedade de línguas. O dom de línguas tem na verdade algumas variações. (a) Falar em línguas humanas comuns diferentes da língua materna (At 2.4-17), foi o que ocorreu no dia de pentecostes. (b) Falar em uma língua desconhecida, linguagem não humana, que não se encontra nos melhores dicionários do mundo, a língua dos anjos (1 Co 13.1). (c) No capítulo 14.2 Paulo discorre sobre o falar em mistérios, onde o espírito do homem se comunica com Deus e em espírito fala de mistérios. Nesse sentido, se não há intérprete na igreja, quem fala em línguas estranhas (mistérios) edifica apenas a si mesmo (1 Co14.4).

(9) Interpretação de línguas. O nono dom é capacidade especial para interpretar o que é falado em línguas estranhas, pelo Espírito (1 Co 14.5). Aqui cabe a seguinte equação: línguas estranhas + interpretação de línguas = profecia.

O tema dos Dons do Espírito tem sido motivo de muitas controvérsias na igreja de Deus. Existem aqueles que com veemência defendem o uso e validade dos Dons nos dias atuais e aqueles que diametralmente se opõem. O nosso objetivo aqui foi apenas o de apresentar uma lista de Dons do Espírito, tanto os Ministeriais quanto as Manifestações do Espírito. Contudo, reconheço que a postagem foi mais alinhada com a primeira linha de pensamento, os que acreditam na validade dos Dons nos dias atuais. 



REFERÊNCIAS

[1] Bíblia, (1 Co 3.9-11)
[2] Bíblia de Estudos Pentecostal – Editora: CPAD, 1995
[3] HENRY, Matthew. Comentário Bíblico Novo Testamento – Atos a Apocalipse. 1 Edição: CPAD, 2008.
[4] STERN, H. David. Comentário Judaico do Novo Testamento – Editora: Templos, 2008.
[5] MACDONALD, William. Comentário Bíblico Popular - Novo Testamento – Editora: Mundo Cristão, 2011.

Faça sua inscrição no blog Creio no Evangelho

Receba as atualizações do blog Creio no Evangelho! Digite seu email aqui...

Postar um comentário

0 Comentários